quarta-feira, 30 de março de 2016

Minha experiência como correspondente jurídico

Esse é um tema que provavelmente interesse mais pro pessoal da área do Direito, então quem não for da área ou não se interessar pelo assunto pode pular pro próximo post, sem ressentimentos!


Fazia pouco tempo que eu tinha me mudado do Paraná pra São Paulo e ainda não dava pra procurar um emprego fixo aqui, porque muito do meu trabalho continuava no Paraná e eu ainda precisava estar lá com muita frequência pra atender clientes e fazer audiências. Então era aquele bate e volta constante, muitas horas na estrada, e algum tempo livre com o qual eu não sabia direito o que fazer.

Pra quem não sabe como funciona correspondente jurídico, uma explicação rápida: no dia-a-dia de um escritório de advocacia, alguns atos precisam ser realizados no fórum ou em outras repartições públicas (cartórios, PROCON, delegacias, etc.). O advogado que não quiser ou não puder fazer pessoalmente esses atos (por serem em outra cidade, por exemplo) contrata um correspondente (que pode ser um estudante de Direito, um bacharel em Direito ou um advogado) para ir a esses locais, para acompanhar uma audiência, tirar cópias dos autos de um processo, levantar um alvará, buscar um documento e postá-lo no correio, fazer um protocolo, coisas assim.

Conheci esse sistema por um anúncio no Facebook. Fiz um cadastro no site Jurídico Correspondentes (mas há vários outros também) e contratei um plano. No site, o correspondente cadastra as cidades onde atua e a partir daí começa a receber mensagens de potenciais clientes, o que se chama de demanda. O correspondente, então, responde a demanda se tiver interesse nela, informando o valor que pretende receber pelo serviço, o que se chama de proposta. O cliente pode aceitar a proposta, recusá-la ou tentar negociar o valor.

Parece legal, né? Mas é aí que o problema começa.

O que acontece é que os clientes, de forma geral, querem pagar o menor valor possível aos correspondentes. E, embora nosso órgão de classe e o próprio site advirtam que a fixação dos honorários deve ser justa, tem gente que aceita trabalhar por qualquer valor e cria uma concorrência desleal. E fica ruim pra todo mundo, porque essa pessoa que aceita qualquer valor recebe uma merreca pelo serviço prestado e ainda cria um desequilíbrio, porque quem propõe valores justos nunca consegue ser contratado pra realizar uma demanda. Então, se sempre houver quem aceite uma merreca, ninguém jamais vai conseguir receber um valor decente. E vamos colocar como valor decente não o que deixe alguém milionário, porque ninguém fica rico fazendo correspondente jurídico, mas pelo menos o que cubra os custos (transporte, alimentação, tempo na fila; sem contar que pra ir ao fórum a pessoa precisa estar pelo menos bem arrumada e apresentável) e dê alguma margem de lucro.

Mas Anne, tem gente que trabalha por tão pouco? Lamento informar, mas tem. Odeio falar de dinheiro, mas vamos abrir uma exceção pra deixar a coisa mais clara: nas demandas de cópias de autos e acompanhamento de audiência, eu propunha, respectivamente, em torno de R$ 50,00 e R$ 120,00 (o que eu já achava baixo, mas eram os valores praticados por aqui, então não ia adiantar passar muito disso). Demorei pra perceber que tinha gente fazendo cópia por R$ 10,00 e audiência por R$ 20,00 - isso sem considerar, ainda, que a tabela da OAB/PR sugere que o advogado cobre, pra fazer uma audiência, de R$ 350,00 a R$ 600,00!

Outra coisa bem desagradável que aconteceu foi que alguns clientes pedem o serviço pro mesmo dia ou pro dia seguinte, o correspondente entrega e recebe uma mensagem do cliente dizendo que agendou o pagamento para dali a 60 ou até 90 dias. Depois desse prazo, se não for bem organizado, o correspondente até já terá esquecido do fato e vai passar batido. Duas empresas simplesmente não me pagaram, não responderam minhas mensagens e fizeram a egípcia quando eu disse que entraria com ações de cobrança pra receber aqueles valores. O mais irritante é que não é só o dinheiro, sabe? É o descaso e a total falta de respeito com seu trabalho, ainda mais vinda de um colega de profissão!

E outra ainda é que muitos clientes dizem ter interesse em contratar correspondente fixo, o que significa que cada vez que ele precisar de uma diligência na sua cidade, vai te enviar diretamente uma mensagem ao invés de procurar outro correspondente no site. Teria tudo pra funcionar bem, se não fosse por um detalhe: uma vez que você se torna correspondente fixo de um determinado cliente, ele se sente no direito de botar preço no seu trabalho e propor valores cada vez mais baixos pela diligência. Se antes ele pagava R$ 60,00, daqui a duas semanas vai querer pagar R$ 40,00. Se você recusar, ele simplesmente vai procurar outro correspondente - porque volta naquilo que eu disse antes e tem quem aceite trabalhar por qualquer valor.

Enfim.

Devo admitir que o começo do meu trabalho como correspondente foi bem satisfatório, mas depois de alguns meses eu fui me cansando dessas situações. A proposta do Jurídico Correspondentes é muito boa; o problema, como eu disse, é a quantidade de gente folgada e sem noção que tem no mundo. Talvez o sistema de correspondente jurídico seja mais vantajoso para estudantes e recém-formados que ainda não precisem pagar suas contas, então qualquer dinheiro recebido é extra. Pode ser também que em outras cidades o trabalho de correspondente esteja mais valorizado do que aqui, e seja um bom negócio.

Eu escrevi isso tudo porque, quando estava buscando informações a respeito desse tipo de trabalho, só encontrava uns comentários esparsos no Facebook ou então opinião comprada, então espero que esse texto seja de alguma utilidade pra quem quer ser correspondente e não sabe direito o que esperar - vai que alguém dá um Google e vem parar aqui? ;-)

Se alguém aí trabalhou como correspondente, me conta nos comentários!

E.D.I.T.A.D.O
O Jurídico Correspondentes agora se chama Jurídico Certo.

54 comentários:

  1. É Anne...chamam isso de prostituição. Muitas categorias profissionais tem gente assim, e provoca um colapso em todo o segmento... Mas não se pode baixar a cabeça, você sabe o valor e a qualidade do seu trabalho e não deve baixar a cabeça para se adequar.

    :**

    ResponderExcluir
  2. Eis uma área que eu não entendo e nunca seguiria. Curso engenharia (que não tem nada a ver com moda), mas eu amo! Sabe quando você se identifica com algo? Pois então. Assim como a Bárbara, te estimulo a não baixar a cabeça para se adequar. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando estava pra prestar vestibular pensei em engenharia também! Mas acabei partindo pro Direito.
      Obrigada, Julie!
      Beijo

      Excluir
  3. Oi Anne!
    Sabe, tenho um escritório, mas não sou adv. minha mãe é. E essa questão de valores é muito complicada. A Oab dá um valor mínimo para cobrança de coisas,´se não é concorrência desleal, mas sinceramente, um advogado que paga 20 reais para outro fazer audiência... ou não valoriza seu próprio trabalho ou não está nem aí pro cliente... Enfim... cada um vai se ajeitando do melhor jeito, né?
    Bjinhos
    JuJu
    www.asbesteirasquemecontam.com.br

    ResponderExcluir
  4. Muito legal sua experiência, não dava para trabalhar nessas coisas não..rs

    Beijo
    ;)
    http://www.umalindapromessa.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi!!!

    Nossa, você é advogada?? que legal!! Teve uma época na minha vida que pensei em fazer direito, sempre achei uma profissão muito interessante! é triste mesmo, quando existem pessoas que fazem isso e acabam atrapalhando outras. :/ que pena, né? esse trabalho parece ser legal! Já tinha ouvido falar, mas não sabia o que faziam as pessoas que trabalhavam como correspondentes. ^^
    Vi na aba "sobre" que você é vegetariana! :D já tem quanto tempo?? Tem um mês mais ou menos que decidi que a vida de carnivora não era pra mim e virei vegetariana também. Pretendo ser vegana, por enquanto estou mudando meus hábitos e tentando ir me adaptando. :) Parabéns pela sua decisão, sempre fico feliz quando conheço pessoas vegetarianas e veganas!

    Muitos abraços, Andreza ;D
    Vida em Pixels

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andreza!
      Eu sou vegetariana faz uns seis anos. Tô no meio do caminho pro veganismo também e acho que esse vai ser um rumo muito natural pra mim, porque eu nunca fui fã de carne e chegou uma hora que peguei nojo e nem conseguia mais comer. Mais recentemente não tô tendo muita vontade de laticínios (não bebo leite nem iogurte, mas como queijo ainda) e penso algumas vezes antes de comer ovo. Então acho que vai ser tranquilo, já faço várias refeições veganas, às vezes sem perceber mesmo, e tô muito curiosa com a dieta crudívora também!
      Ser vegetariana foi pra mim uma decisão super acertada, me sinto muito bem com isso e mais em paz por salvar animais todos os dias! =)
      Fiquei feliz em saber que você se interessa pelo assunto e é vegetariana também!
      Beijo

      Excluir
  6. Anne eu era doida pra saber exatamente como funcionava isso porque queria atuar como correspondente também já que sou recém formada (talvez fosse uma experiencia interessante e para ir "pegando no tranco"), mas confesso que desanimei bastante! Como que existe gente sem noção nesse mundo!!!! Fico abismada! Mas adorei seu relato supeeeer detalhado. Me ajudou bastante!

    www.karenbartolomeu.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karen!
      Pensando agora, eu deveria ter trabalhado como correspondente quando estava na faculdade e logo depois de formada, porque é um jeito legal de conhecer pessoas e aprender melhor como funciona o Judiciário em cada lugar.
      Mas é como eu disse, talvez na sua cidade esse serviço seja mais valorizado que aqui e seja bom! Acho que pode ser interessante tentar por um tempinho e ver como funciona, ainda que seja pelo aprendizado e pelos contatos! =)
      Beijo

      Excluir
  7. Gostamos do post, apesar de ser uma área que não entendemos nada, achamos esse post super útil para quem pretende seguir nessa área de Direito e tem dúvidas!!!

    beijos

    http://www.onlyinspirations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Nossa, não sabia o que um correspondente fazia. Bem legal você querer mostrar a verdade sobre o trabalho. Essse tipo de coisa acontece, infelizmente, na maioria das profissões.

    Beijos ♥

    Jéssica || Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Anne!
    Muito útil seu post, eu não fazia ideia do que era um correspondente jurídico.
    Por esses posts e outros eu vejo que as pessoas estão falando de assuntos interessantes e de utilidade pública.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Isso é um saco, e não acontece só com correspondente (por sinal, não conhecia essa profissão). Minha mãe é publicitária e está de saco cheio, porque não aceitam o valor, fecham com outras empresas valores baixíssimos, mas aí voltam chorando que ficou uma droga.

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
  11. Pesquisei no google e caí aqui, muito obrigada pela informação!! Exatamente o que eu queria saber, triste realidade do aviltamento, mas, vou tentar e ver o que acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Débora, poderia me falar como foi sua experiência? Obrigado.

      Excluir
    2. Débora, poderia me falar sobre sua experiência? estou meio perdido.

      Excluir
  12. Boa tarde.
    Tenho cadastro a pouco tempo no mesmo site, adorei o post.
    Gostaria de saber sobre as demandas, você conseguiu ingressar com ações pelo site?
    Recebi um contato, mas não sei se é confiável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Fiz várias demandas pelo site e na grande maioria das vezes deu tudo certo.
      Depois que eu já havia me desligado do site, vi que eles implantaram um sistema em que o cliente e o correspondente negociam o valor da demanda, aí o cliente paga antecipadamente pro site e o correspondente é avisado. Depois que realizar a diligência, o correspondente recebe o dinheiro diretamente do site. Isso diminui muito o risco de levar calote nas demandas.
      Em todo caso, vale fazer uma pesquisa sobre a pessoa que te enviou o pedido de demanda: se o escritório realmente existe, se o escritório ou advogado está com registro regular na OAB, até fazer uma busca de processos movidos contra ele por outros correspondentes.
      Eu acabei tendo que ingressar com duas ações judiciais pra tentar receber valores que não foram pagos. Como eu disse, na época o site não oferecia essa ferramenta de pagamentos antecipados, portanto ingressei contra os escritórios contratantes, não contra o site. E também eu não fui tão cuidadosa ao pesquisar a vida pregressa desses escritórios, tanto que, quando ingressei com as ações de cobrança, descobri que já havia em trâmite outros processos contra eles... Deu um pouco de trabalho, mas no fim consegui receber.

      Excluir
  13. Oi Anne boa noite

    Gostei de sua publicação pois na internet tem poucos relatos desse tipo.
    seria cômico se não fosse trágico a realização das diligências por 10 .. 20 reais.. Só desvaloriza serviço dos correspondentes.
    Acho o jurídico certo muito correto e eficaz em sua função e embora os folgados que estão envolvidos, há também a possibilidade de bons contatos e renda extra pelo ramo de correspondência jurídica.. Principalmente para estudantes que possuem mais tempo livre.
    Já fiz correspondência e estou me dedicando mais agora, o que vejo ser uma parte complicada é o longo prazo que alguns escritórios criam para pagamento .. Estendo de 30.. 60 dias após a realização da diligência.. Às vezes já barata devido à disponibilidade informada pelo escritório, e ainda demoram o pagamento..
    Enfim, são situações a serem resolvidas para que a atuação seja mais justa e produtiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucas, concordo! A atuação do correspondente jurídico é importante e seria interessante se os advogados valorizassem mais esse tipo de serviço.
      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  14. Realmente, é isso que acontece, infelizmente!
    Mas quer saber, não desistir é a chave do negócio.
    Sou advogada e valorizo muito minha profissão.
    Nunca cobrei menos de 100,00 para extração de cópias, nem menos de 200,00 para uma simples audiência.
    Recebi muitos nãos, mas os outros sim são mais gratificantes, vindo de profissionais que não se importaram em pagar o preço pedido, pois se valorizam e valorizam o nosso trabalho.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está certa! A valorização do nosso trabalho tem que partir de nós mesmos.
      Nem sempre é fácil, mas ter na carteira de clientes só quem valoriza nosso trabalho é muito mais compensatório e gratificante.
      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  15. Anne bom dia sou estudante de direito e gostaria de atuar como correspondente e não sabia como , até que achei o seu blog.Estou muito interessada apesar desses ocorridos que é uma vergonha, apesar disso tudo quero ter uma experiência com os processos, vou tentar. e vou cobrar um preço justo. Muito obrigada pela informação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Cristina!
      Fico feliz que o relato da minha experiência tenha sido útil.
      Obrigada pela visita e pelo comentário!
      Boa sorte!

      Excluir
  16. Ei Anne! Também sou estudante de direito e achei bem interessante a ideia de ser correspondente jurídico, pois ainda não tenho experiência em fóruns e diligências e essa poderia ser uma oportunidade.
    Você tem dicas para estudantes que estão começando neste ramo??

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ariadne!
      Todo tipo de diligência que você puder fazer vai ser interessante pra ganhar experiência e se familiarizar com a rotina de fórum.
      Pensando atualmente, se eu tivesse atuado como correspondente na época em que estava fazendo faculdade, isso teria me acrescentado muito. Pena que eu não sabia que esse serviço era tão requisitado.
      A chave para ser um correspondente jurídico de sucesso é dedicação! Seja atenciosa com os clientes, perfeccionista com o trabalho e respeite sempre o prazo solicitado. Lembre-se sempre que o serviço de correspondente jurídico é muito importante para quem o solicita. Essas são formas de ganhar a confiança e a preferência dos clientes e fazer com que eles sempre se lembrem de você quando precisarem de uma diligência.
      E claro, valorize seu trabalho e pratique preços justos! Bons advogados reconhecem o valor do trabalho de um correspondente competente!
      Boa sorte!

      Excluir
    2. Obrigada pelas dicas, Anne! Você pode me informar, por gentileza, como eram mais ou menos os preços? Não tenho noção, por exemplo, de preços que eu poderia cobrar para cópias.

      Mais uma vez, obrigada!

      Excluir
    3. Os preços variam um pouco de acordo com o lugar, mas os valores praticados para cópias vão aproximadamente de R$ 40 a R$ 120, dependendo da quantidade de folhas.
      ;-)

      Excluir
  17. Anne, boa noite!

    Há cerca de um ano trabalho como correspondente jurídico e já consegui bons clientes que valorizam o meu trabalho. Claro que há propostas ridículas... mas temos que aprender a selecionar. Conquistando bons clientes você consegue viver bem com correspondência. Caso contrário, é um extra mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Giovana!
      Fico feliz por saber que você teve sucesso nessa área. O trabalho do correspondente merece mesmo ser valorizado!
      Obrigada pelo comentário!

      Excluir
  18. Oii Anne,
    Estava pesquisando sobre Correspondentes Jurídicos e encontrei o seu Blog. ÓTIMAS DICAS!! Pois o que eu encontrava eram somente comentários "comprados", nada da realidade.
    Sou estudante de direito e gostaria de adquirir mais experiências. Tem algum site de Correspondência que você indique? Iria me cadastrar no Jurídico Certo, mas eles cobram uma taxa mensal de R$ 40,00 e lendo você escrever sobre escritórios que pagam com 60, 90 dias de prazo, seria como pagar para poder trabalhar.

    Obrigada pelas dicas.
    Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andreza!
      Muito obrigada!
      Eu conheço o Migalhas (http://correspondentes.migalhas.com.br), que também é pago mas o preço é mais baixo do que o do Jurídico Certo.
      E gratuito tem o Correspondentes na Web (http://correspondentesnaweb.com.br), que também é muito bom, recebi várias demandas por ele.
      Sucesso pra nós! \o/
      Boa sorte!

      Excluir
  19. Boa noite Anne.

    Seu relato foi bem o que eu precisava pra ter uma noção melhor dessa área... eu sou formada a 3 anos mas não tenho vivência jurídica nenhuma. Sou Policial, estudando pra outros concursos e como trabalho em plantões (dia sim dia não) tenho sempre 2 a 3 dias livres na semana que estava pensando em ocupar como Correspondente. Você acha que em média dá pra fazer quantas diligências de cópias por dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Olha, isso depende muito de como é a demanda no local onde você trabalha. Eu cheguei a fazer três diligências de cópia em um dia, o que rende um extra bem razoável.
      O Jurídico Certo tem uma ferramenta de agenda jurídica, que você pode utilizar pra avisar os clientes quando estiver no fórum, por exemplo. Assim, quando um cliente estiver procurando um correspondente, provavelmente irá te dar preferência, porque você já estará no local da diligência, então poderá entregar as cópias mais rápido.
      Você também pode acompanhar advogados em audiências cíveis como preposta. A participação do preposto nesse tipo de audiência tem sido meio que figurativa, já que o preposto não precisa ter conhecimento dos fatos do processo, e tem a vantagem de te ajudar a ganhar experiência assistindo às audiências. Mesmo que o seu foco seja concurso e não advocacia, ter experiência em audiências é importante e acrescenta muito.
      Sucesso!

      Excluir
  20. Oi, Anne!
    Muito bom artigo. Eu gostaria de saber se tem alguma tabela de média de preços para cada tipo de serviço, ou, se você poderia me informar, teria como? Sou estudante de direito e e gostaria de atuar como correspondente mas, estou completamente sem noções de valores.
    Muito Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aliffe!
      Obrigada!
      Eu desconheço a existência de alguma tabela, mas pesquisando um pouco dá pra ter uma noção dos preços.
      Os valores praticados variam bastante conforme a localidade. Os preços para cópias são em média de R$ 40,00 a R$ 120,00 (dependendo da quantidade de cópias) e o acompanhamento para audiências é de aproximadamente R$ 250,00.
      Sucesso!

      Excluir
  21. Muito bom o relato! Sou recém formado e queria justamente um texto explicativo e imparcial.
    Não pude deixar de te agradecer nos comentários.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que o post tenha sido útil!
      Obrigada!

      Excluir
  22. Acabei de ler seu comentário. Agora entendi pq não consigo nenhuma demanda. Meus valores estão justos, porem como vc colocou tem pessoas que fazem preços abaixo do mercado. Pelo visto meu plano de correspondente vai durar só 28 dias. Mto obrigada.

    ResponderExcluir
  23. Adorei seu blog, estava procurando algo do tipo. Sou recém formada e com pouquíssima experiencia na área. Já me cadastrei no migalhas mas ainda não tive nenhuma demanda e estava pensando em fazer o cadastro no jurídico certo, porém, queria me informar mais por ser um site pago. Seu post foi de grande valia.

    ResponderExcluir
  24. Olá, Anne. Dando uma pesquisada no google caí aqui. Gostei muito do seu relato. Há dias venho pesquisando sobre o tema. Sou professor, leciono na rede pública do Estado de SP, tenho 36 anos e realmente não estou nada feliz com os rumos da minha profissão. Sempre tive uma queda por direito e psicologia, mas por uma série de fatores que inviabilizaram que fizesse algum desses cursos antes, começarei agora. Estou iniciando o 1º semestre dessa longa jornada e sinto que nasci pra isso, mesmo já meio velhinho, tenho certeza que essa escolha me trará muita felicidade. Como tenho 2 tardes e meia livres por semana e um tiquinho da manhã, estou pensando seriamente em tentar algo como correspondente, não só para adquirir experiência, mas também na esperança de fazer uma grana extra, já que o salário do Estado anda meio defasado. Sou de Caraguatatuba, litoral norte de São Paulo. Não tenho nem ideia como é a procura desses serviço por aqui. Pela localização geográfica, consigo atuar nas 4 cidades que compõe o litoral norte: Caraguatatuba, Ubatuba, São Sebastião e Ilhabela. Pelo que andei dando uma fuçada tem uma pancada de gente fazendo isso por aqui, mas mesmo assim pretendo arriscar. Estou para fazer o cadastro no correspondentesnaweb.com.br/ pra começar a ter uma ideia do funcionamento desse setor aqui na região, mas pintou uma dúvida: na hora do cadastro é necessário indicar quais serviço o correspondente realizará, entre cópias, serviços em outros órgãos (prefeitura, cartório) e audiências. Acredito que quem ainda é estudante não pode participar de audiências, correto? Não coloquei essa opção no cadastro, mas se puder eu mudo lá. Se tiver um tempinho tira essa dúvida minha. Gostaria também de deixar meu contato pra trocar uma ideia com o pessoal que já é da área e os que estão começando, assim como eu. Meu e-mail: jfulber@bol.com.br Quem quiser pode entrar em contato comigo pra trocar whatsapp e conversarmos e trocarmos experiências.
    Muito sucesso pra você, pra mim e pra todos que passaram e irão passar por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jorge!
      Se aos 36 você acha que está um pouco tarde pra começar, preciso te contar de uma mulher que estudou na mesma faculdade que eu e iniciou o curso com 70 anos. Ela morava num sítio, ia dirigindo até um posto de combustível, onde pegava uma van e ia estudar em outra cidade, a 100 km da casa dela. Depois da aula ela fazia o caminho inverso e chegava em casa quase 1h da madrugada. Assistia às aulas com uma disposição de dar inveja no povo de 20 e poucos anos, ia bem nas provas e, até quando tive contato com ela, estava estudando pra OAB alguns meses depois de se formar. Tenho muito orgulho em ter alguém com essa garra como colega de profissão.
      Acredito que nunca é tarde pra se dedicar àquilo que você ama fazer.
      Bom, história contada, vamos à sua dúvida!
      Poder atender várias cidades já é um ponto positivo pra você, que pode, assim, abranger uma clientela bem maior do que se ficasse restrito a uma cidade só.
      Recentemente a atividade de correspondente jurídico se popularizou bastante. Porém, como em qualquer profissão, tem gente boa, tem gente mais ou menos e tem gente que só por Deus...
      Sendo dedicado, atencioso e pontual, você já terá mais uma vantagem sobre os demais correspondentes e pode contar que os escritórios farão questão de entrar em contato diretamente com você no momento de pedir uma segunda diligência.
      O acompanhamento de audiências só pode ser feito por advogado, portanto enquanto não for habilitado você não pode fazer esse serviço. Por outro lado, você pode participar de audiências na condição de preposto, porque pra isso não se exige nenhuma formação específica. Atualmente a participação do preposto nas audiências cíveis (especialmente Juizado Especial) é figurativa, não havendo necessidade que ele se manifeste nem que tenha conhecimento dos fatos narrados no processo. Se você tiver algum advogado conhecido, pode começar fazendo uma parceria. Ou então entre em contato com advogados que atuem nas cidades que você mencionou e se ofereça para acompanhá-los nas audiências como preposto; muitas vezes advogados que trabalham sozinhos acabam tendo dificuldade em conseguir prepostos, porque nem sempre proprietários e funcionários das empresas tem disponibilidade de sair no meio do horário de expediente para participar de audiências.
      Obrigada pelo comentário! Sucesso!

      Excluir
    2. Olá! Muito obrigado por responder meu comentário. Concordo plenamente com você, nunca é tarde pra começar ou até mesmo recomeçar. Admiro muito quem encara um desafio desses aos 50,60,70 anos ou mais. Até acho que o objetivo pode não ser exatamente o mesmo que os dos jovens estudantes (em alguns casos), mas isso não diminui o respeito e admiração que tenho por eles. No meu curso tem alguns senhores e senhoras com um pouco mais de idade também. Achei isso muito interessante. Somos uma turma muito diversificada. Estou gostando muito do curso. Sucesso para todos nós!

      Excluir
  25. O problema é a falta de união dos advogados,temos que denunciar para a OAB esses profissionais que desvalorizam a profissão,eles serão punidos por criar esse desequilíbrio...cobrar $ 20.00 por uma audiência,isso é um absurdo,nem uma prostituta do mais baixo nível cobra esse valor por seus "serviços".Uma vergonha ser advogado nesse país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabriela!
      Concordo e discordo em parte...
      Vergonha alheia sim pelos profissionais que se vendem por qualquer coisa e que vivem de pilantragem. Mas apesar disso tenho muito orgulho da minha profissão, de estar onde estou, dos incríveis profissionais que conheci no caminho e das pequenas vitórias diárias que esse trabalho me proporciona. Tem muito perrengue sim, mas ainda acredito que a parte boa supera isso.
      E realmente a falta de união predomina, os profissionais que queimam o filme da classe devem ser denunciados e punidos. Esse tipo de prática cria um desequilíbrio enorme no mercado e todo mundo sai prejudicado.
      Obrigada pelo comentário!
      Beijo

      Excluir
  26. Olá, Anne. Parabéns pela iniciativa e dedicação constante. Suas palavras são de grande proveito e ajudam as pessoas interessadas nesse mundo de correspondência jurídica.

    Você poderia informar os melhores sites, conforme seu entendimento, para atuar como correspondente?

    Obrigado pela atenção.


    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Obrigada!
    Além do Jurídico Certo (www.juridicocerto.com.br) que eu mencionei no post, também conheço o Migalhas (http://correspondentes.migalhas.com.br) e o Correspondentes na Web (http://correspondentesnaweb.com.br).
    Jurídico Certo é o novo nome do Jurídico Correspondentes.

    ResponderExcluir
  28. Olá Anne, boa noite. Um prazer ler o seu relato. Todos são da mesma opinião, pelo que li até aqui:É Excelente texto, o seu!
    Mas, mais interessante são suas explicações a cada dúvida postada, faz-nos orgulharmos de existir pessoas como Vc.
    Sou advogada, já com antiga atuação, mas tendo em vista a questão de saúde mental, ocupação de tempo, bem como ajudinha na renda, resolvi ser correspondente, o que fiz no início de minha carreira, que se denominava de "free lancer", até pq a atuação era na mesma Cidade, e assim, eu dava "suporte" a um escritório e a uma empresa, que tinha o seu próprio jurídico, aí em São Paulo.
    Pois bem, antes de me inscrever em qqr site, resolvi pesquisar opiniões, pq sei que as coisas mudaram e de primeira vi o seu blog.
    Obrigada pelas dicas e por sua paciência em dividir suas experiências com todos. Parabéns

    ResponderExcluir
  29. Oie nossa eu tava pensando em fazer isso mas tenho uma dúvida, sou bacharel há 4 anos e não tenho oab estagiário,quer dizer ate tenho mas não paguei mais kkkk, será que eu consigo ser correspondente? Obrigada

    ResponderExcluir
  30. Parabéns pelo "desabafo"! Acho um absurdo a forma que os próprios advogados se tratam, seja aqui em SP ou em qualquer outro estado. Falta respeito ao profissional e ao tempo dedicado a estudos etc. Sai da area em 2014 e tenho um comércio de sandalias. Fabrico meus produtos e estamos crescendo aos poucos, mas o Direito me ajudou muito e espero retornar em alguns outros projetos diferenciados. Penso que devemos lutar por um país melhor e também por uma advocacia melhor!

    Para quem quiser conhecer meu projeto siga no instagram @jandan01 e @danlemes (no face estou assim também).

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...